Push e Pull Marketing: o que é e como funciona?

É fato que dentro do Marketing, existem diversas abordagens que visam um bom desempenho para alcançar e impactar o público-alvo de uma determinada empresa, servindo sempre como uma grande solução para os consumidores. Entre elas, o Push e o Pull Marketing são duas estratégias de destaque que vêm crescendo cada vez mais, principalmente devido ao grande avanço do Marketing Digital.

Se você deseja ficar por dentro de tudo sobre essas técnicas, prossiga com a leitura e aproveite o conteúdo!



O que é Push e Pull Marketing?

O marketing push é uma técnica que tem como foco principal, “empurrar” produtos para um público específico. Seu objetivo gira em torno de oferecer seus serviços e produtos aos consumidores por meio do Marketing, tendo em vista que ele é uma forma de publicidade geral.

Por outro lado, o pull é muito mais voltado à uma aplicação passiva, que visa “puxar” os potenciais consumidores através do encanto, buscando sempre criar uma relação muito mais próxima com o público, para assim, atraí-los para a conversão em vendas.


Como funcionam na prática?

Push Marketing

O Push Marketing, por tratar-se de um marketing direto, na prática ele atua na busca de conversões através de ofertas, anúncios, campanhas e ações que despertam o interesse do consumidor. No entanto, durante o processo de venda, é comum que as empresas empurrem suas ofertas, a fim de convencer o cliente de que aquela compra realmente vale a pena.

A prática costuma ser muito utilizada por empresas novas que estão tentando se consolidar no mercado através da busca por visibilidade e credibilidade. Contudo, também é muito válida para os negócios que já estão bem posicionados em seus segmentos, mas querem promover um produto novo ou reforçar o posicionamento.


Pull marketing

Já o pull marketing é totalmente o oposto. Ele visa desenvolver ações que atraiam o cliente de maneira espontânea, sempre mirando nos resultados de médio e longo prazo a partir da construção de uma relação entre marca e consumidor, o que transmite maior confiança ao ponto de fidelizá-los.


Mas afinal, quais fatores os diferenciam?

As práticas apresentam algumas diferenças bem notáveis no que diz respeito às abordagens e resultados. Confira quais são elas:


1 – Objetivo:

Sem dúvidas, o fator que mais distancia ambas as técnicas, é justamente o objetivo principal de cada uma. Enquanto o Push foca na conversão rápida, o Pull foca na atração e fidelização.


2 – Tempo:

Por conta dos objetivos distintos, é comum que cada uma tenha um tempo de espera equivalente à estratégia aplicada. O Push, por ser algo mais agressivo, ele funciona a curto prazo. Já o Pull, leva muito mais tempo, mas garante algo mais duradouro.


3 – Direção:

O direcionamento também é bem distinto, tendo em vista que o Push trabalha a partir da apresentação de benefícios, enquanto o Pull age de acordo com as necessidades de cada um, deixando claro que a empresa tem a solução para qualquer problema.


5 dicas para incluir as estratégias na era digital

Agora que você está por dentro do assunto, é preciso saber como aplicar as técnicas em seu negócio. Acompanhe algumas dicas:


1 – Analise o perfil do seu público-alvo:

Para definir boas estratégias para o seu negócio, é essencial conhecer o tipo de cliente que deseja atrair. Afinal, ao entender as necessidades do seu público, é possível investir em ações que realmente irão gerar bons resultados;


2 – Conheça as suas soluções:

Conhecer os produtos que a sua marca oferece é fundamental na hora de transmitir maior confiança ao cliente. Tenha sempre em mente o que cada produto representa, sua composição técnica e aquilo que ele oferece como vantagem, para que seja possível, até mesmo, compara-lo com outras opções inferiores do mercado;


3 – Defina seus objetivos de marketing:

É preciso saber exatamente onde você deseja chegar. O marketing, quando bem direcionado e segmentado, apresenta muito mais resultado;


4 – Atente-se aos seus resultados:

Não deixe de monitorar todas as ações realizadas para que seja possível observar o retorno que aquela estratégia está gerando ao seu negócio. Assim, será muito mais fácil de notar o que realmente funciona em sua área.


Exemplos de aplicação

Push Marketing

1 – Peças gráficas:

São anúncios que podem ser apresentados de diferentes maneiras, seja através de banners ou flyers. Muitas vezes, essas estratégias são utilizadas em publicidade paga ou nas redes sociais da empresa;


2 – Painéis:

Por incrível que pareça, os outdoors são ainda uma forma totalmente eficaz para divulgar a marca, desde que muito bem planejado;


3 – Marketing direto:

É o tipo de marketing utilizado para oferecer amostras grátis como brindes ou simplesmente cupons de desconto.


Pull marketing

1 – Marketing de mídia social:

Sem considerar os anúncios pagos, há diversas maneiras de utilizar a estratégia. A criação de conteúdos informativos é a melhor delas, podendo ser através de vídeos de instruções, postagens de dicas, boas imagens ou até mesmo, o uso de influenciadores;


2 – SEO:

O SEO é uma técnica utilizada no mecanismo de pesquisa do Google, que funciona em torno de fornecer destaques à páginas da web de acordo com palavras-chave. É algo totalmente orgânico e é uma boa maneira de atingir o público;


3 – Blogs:

Apesar de muitos acharem algo ultrapassado, os blogs seguem sendo um bom investimento. Os artigos são meios de educar e fornecer conhecimento para o público, principalmente em torno das utilidades de seus produtos


Vale a pena investir em Push e Pull?

Após acompanhar a leitura, você com certeza deve estar cogitando incluir as abordagens citadas em suas estratégias, não é mesmo? Mas afinal, será que vale a pena investir nelas?

Sim, as práticas são totalmente válidas para diferentes tipos de segmentos e apresentam resultados impressionantes. Contudo, antes de tudo, é preciso avaliar qual delas funciona melhor para o seu mercado e de que maneira você deseja, de fato, impactar seus consumidores.

Gostou do conteúdo? Compartilhe e até a próxima leitura!